quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Entrevista:: Equipe de GUTS fala sobre o jogo e sobre o mercado de games no Brasil

Saiba mais sobre o game indie brasileiro GUTS e sobre o mercado de games no Brasil.


Lançado em 15 de Novembro no Steam para PC (e futuramente para Xbox One e PS4), o game de luta brasileiro GUTS (Gory Ultimate Tournament Show) conta com uma mecânica bem original que bebe de diversas fontes. No geral, os adversários lutam desmembrando uns aos outros em um combate gore e principalmente hilário. 

Porém GUTS vai muito mais além de um game de desmembramento, com diversas referências e piadas como a figura do personagem "Father Maromba" (um padre marombado) e Svet Stepanova com sua frase "Metal is the Law" (alguém lembrou de Massacration?) além de elementos que lembram Kill Bill de Quentin Tarantino e o Cavaleiro Negro de Monty Python

Quem nos explica mais é Lucas Reis do Marketing da Flex Game Studio (desenvolvedora responsável pelo game), onde nos contou diversos detalhes do processo e sobre o mercado de desenvolvimento de jogos no país, confira:

Inspirações

Perdi Meus Óculos:  Alguns sites como o UOL (fonte: UOL Games) definem GUTS como sendo um jogo em que o objetivo é "desmembrar o adversário". Obviamente que é muito mais do que isso, porém essa premissa lembra muito Bushido Blade do Playstation 1. Existe essa comparação? Existe alguma outra fonte na qual GUTS se inspira?

Lucas Reis: O GUTS bebe de muitas fontes, como a equipe é multidisciplinar todos da equipe na condição de gamers antes mesmo de serem desenvolvedores, carregam suas próprias influências e inspirações e elas acabam por influenciar o produto final. Essa matéria do UOL especificamente é sobre uma versão bem antiga e rudimentar do GUTS, que apenas carregava a proposta básica do game, a qual de fato gira em torno do desmembramento. Com o avanço do projeto, várias outras mecânicas e modos de jogo adicionaram profundidade ao game, assim como o lore por trás do GUTS é muito extenso, o que pode ser visto no modo história mais especificamente. Outras coisas o jogador não consegue ver mas fundamentaram todo o universo do reality show, GUTS.
Sobre referências mais específicas, muitas são citadas pelo público ao se deparar com o GUTS, e algumas realmente participaram como influência, games como: Mortal Kombat, Street Fighter, Thrill Kill, Biofreaks, Time Killers entre outros.


O mercado de Games no Brasil
O mercado de Games no país é bastante promissor, porém cheio de barreiras para os desenvolvedores. Segundo a Agência Afirma hoje o mercado conta:
 "...com 3,4 milhões de usuários, sendo o quarto lugar em todo o mundo (atrás apenas dos EUA, Japão e China) e o primeiro na América Latina. O Mercado de Games no Brasil movimenta por ano, U$1,5 bilhões de dólares, e deve alcançar a marca de 1,6bi em 2017.(...)"
Além do mais, segundo a Abragames (via portal R7), hoje existem cerca de 220 empresas desenvolvedoras de jogos no Brasil, número que deve aumentar nos próximos anos. Contudo, também há grande escassez de incentivo e profissionais no mercado, onde as empresas tendem a se configurarem de forma bem diferente das que estão no Japão ou Estados Unidos.

A priori, entrar em um mercado com tantas barreiras pode ser classificado por alguns como "coisa de maluco", porém esse conceito mais conservador têm se mostrado uma visão míope do mercado de games no país.

Com relação à GUTS, questionamos um pouco sobre o modelo da empresa e quais as dificuldades que eles encontraram no caminho.

Perdi Meus Óculos: Hoje a Flux Game Studio, responsável por GUTS, conta com quantas pessoas na equipe reservada para a produção do jogo? Como é o clima na empresa?

 Lucas Reis: A Flux conta com 18 pessoas na equipe, distribuídas nas áreas de arte, tech art, programação, game design, sound design, modelagem, produção e marketing, além da nossa mascote que é uma gatinha de estimação! Todos na empresa tiveram plena participação no GUTS, mesmo que em alguns momentos a equipe se divida em projetos diferentes. O clima é incrível, afinal todos gostam de games, assunto nunca falta e certamente boas risadas também não, você pode conferir o resultado do bom humor da Flux refletido no humor ácido do GUTS.

Perdi Meus Óculos: Recentemente pudemos conversar com diversos desenvolvedores no Brasil e percebemos que eles utilizam diversos recursos para poder auxiliar no projeto como Catarse, Lei Rouanet, Patreon ou mesmo o suporte/aporte de alguma empresa ou publisher. Qual foi o suporte que vocês tiveram nesse processo? 

Lucas Reis: Nós recebemos o aporte financeiro da Desenvolve SP, uma instituição financeira que promove desenvolvimento de empresas em São Paulo com taxas de juros mais competitivas para fomentar o empreendedorismo.

Perdi Meus Óculos: Desenvolvimento de games no Brasil é ainda “coisa de maluco”, porém isso tem mudado em uma velocidade forte nos últimos 5 anos - especialmente com o avanço das tecnologias mobile. Hoje existem diversas escolas que procuram formar pessoas em diversas tecnologias como Unity e Unreal. Ainda assim, temos uma barreira muito forte para que as produções de games fluam com maior força por aqui. Para vocês, o que é o maior impeditivo hoje no mercado de desenvolvedores de jogos? 

Lucas Reis: Os fatores impeditivos são muitos, o maior deles sem dúvidas é custo de produção, desde profissionais especializados, até licenças de softwares e equipamento, o custo ainda é altíssimo mesmo para projetos menores. No Brasil ainda encontramos dificuldades ao acesso a devkits de plataformas como PS4 e XBOX. Por último o custo com marketing é bem elevado, dado que você precisa fazer o seu jogo “existir” em todos os mercados de forma globalizada e massiva e isso custa caro.

Perdi Meus Óculos: A propósito, qual ferramenta vocês utilizaram para desenvolver GUTS? Alguma razão específica?

Lucas Reis: A engine utilizada foi a Unity, primariamente pela afinidade da equipe com a ferramenta e creio que conseguimos superar várias expectativas da capacidade a ser explorada dentro da Unity, muitas pessoas nos questionam em eventos que levamos o GUTS, como conseguimos fazê-lo na Unity, dada a complexidade de algumas coisas.

Perdi Meus Óculos:
 Recentemente visitei a Pipa Studio onde me disseram que possuem um bom relacionamento com a Tap Studios - que na prática são concorrentes deles. Entretanto eles sempre buscam nessas conversas fazer um benchmarking e alinhar melhores práticas de mercado. Existe algum estúdio ou profissional que vocês têm parcerias e conversas desse nível? Qual?

Lucas Reis: Em geral o mercado de desenvolvedores indies no Brasil é bem unido, claro que sempre existe uma concorrência, mas podemos dizer que ela é bem sadia. Temos ótima relação com inúmeros estúdios que nos apoiaram durante o processo de desenvolvimento do GUTS, seja de forma direta ou indireta, ou até mesmo com uma boa conversa no bar. Estúdios como a Mad Mimic, Kokku, Fableware, Reload, Kinship, Indústria de Jogos entre outros.


Haverá microtransações?
As polêmicas das microtransações não são novas e diversos jogos têm ganhado destaque pelo seu modelo estrutural ser baseado em compras online. O assunto divide opiniões e por essa razão, questionamos um pouco o assunto à equipe de GUTS.

Perdi Meus Óculos: Precisamos tocar em alguns assuntos polêmicos, um deles diz respeito à microtransações. A proposta de GUTS são os PCs e Consoles, porém vocês estudam as microtransações no futuro? Qual a posição de vocês quanto à isso?

Lucas Reis: O GUTS foi projetado para ser um jogo premium sem microtransações, sendo que adquirindo o GUTS, você tem a experiência completa do jogo, incluindo modo online.
É impossível dizer que nunca vamos aderir à alguma prática porque, assim como em qualquer mercado, o produto responde a forma como o público interage com ele. Algo que podemos dizer que vai completamente contra a lógica do GUTS, é gerar qualquer coisa comprável que vá lhe dar vantagens no gameplay o que tiraria o core competitivo que o GUTS carrega.

Sentimentos após lançamento
Perdi Meus Óculos: Qual o sentimento da equipe nesse momento tão corrido para o lançamento de GUTS?

Lucas Reis: O sentimento da equipe mais do que de missão cumprida, é de orgulho. Só nós sabemos todas as dificuldades, as centenas de reuniões, de bugs resolvidos. Como muitos gostam de falar “Nasceu o filho” porque desenvolver jogos é assim, você se envolve com o projeto de uma forma que se torna um filho que foi colocado no mundo pra alcançar seu espaço.

Perdi Meus Óculos: Mais uma vez, obrigado pelas respostas e esperamos que GUTS seja um sucesso. 

GUT já está disponível no PC via Steam e futuramente no Xbox One e PS4. Confira o trailer do jogo:



Para mais detalhes, acessem: https://www.playguts.net/
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Total de visualizações

Ofertas

Vendas de Consoles no Mundo

Marcadores

13 reasons why 3% 99 vidas a torre negra action figures activision adventure Time Agatha Christie america's Got Talent animações Animais Fantasticos anos 80 apple artes artes marciais artigo assassins creed astronomia atari avatar bastidores batman bebe e jogo bebidas bethesda beyond good and evil bgs black Mirror Blade runner blizzard board games brazil games bruxas bungie call of duty caminho De Santiago De Compostela cannes capcom Cara Gente Branca carl sagan causas sociais cavaleiros do zodiaco Caverna do Dragao chaves ciencia cinema civilization contra copa do mundo cosplay counter strike Criticas críticas-Filmes curiosidades dança Dark Darksiders DC deadpool death note defensores destiny DesventurasEntreACruzEAConcha detona Ralph dicas disney doctor who documentario donkey kong Doug Douglas Adams dragon ball e3 ea sports entre A Cruz E A Concha entre cuba e mexico entrevista Episodios esportes esports estilo; comidas faceDance far cry fatal fury feminismo ficção cientifica fifa filmes de terror final fantasy final fight fortinite fox FreeGames frozen funko galeria galerias de fotos game of thrones gameplay games brasileiros games-retro Gaming gatos globo god of war guardioes da galaxia guia harry Potter hbo hello kitty Hercule Poirot Historias-Nerds horizon zero dawn house of cards india indie games infamous infográficos injustice Institucional internet invocacao do mal It james bond Jaspion jouney jurassic park justiceiro k-pop kill bill king of fighters kingdom hearts kojima konami la casa de papel lanterna verde last of us lego liga da justiça livros lucky luke mad max makingOff manga mario marketing marvel Marvel Versus Capcom mega drive merlí metal gear Michael Jackson microsoft missao impossivel mitologia grega monty python mortal kombat museus musica Na Estrada namco naruto neon genesis evangelion netflix news ni no kuni nights nintendo no mans sky oito mulheres e um segredo one piece onze homens e um segredo oscar overwatch pacman papo play PCGames peanuts pixar planeta dos macacos plants versus zombies playmobil playstation pokemon pokémon pokmon politica e sociedade portas dos fundos power rangers princesas quadrinhos Quem somos quentin Tarantino realidade virtual reality show Red Dead Redemption 2 religiao resident evil Rick & Morty rock rockstar RPG sailor moon San Diego Comic-Con saude Sci Fi Sega sense8 seriados shazam shows silvio santos simpsons slender man Smash Bros snk snoopy sonic sony Space Opera speedrun spider man square star trek star wars steam stephen king Stranger Things street fighter streets of rage super sentai superman tales from borderlands tbt teatro tecnologia TecToy tekken telefonia televisao telltale The Big Bang Theory the last of us The witcher this is america Tintim Tomb Raider TOP5 trailer transformers trophy X-ray turma da monica tv ubisoft uncharted videogames live videos vingadores warcraft World War Z xbox xmen you tube yu yu hakusho Zelda zumbis

Blog Archive